Webinário “Engajamento Comunitário e Redução de Distúrbios sobre as Aves Limícolas” - 2020 SAVE Brasil/WHSRN

 

O que entendemos por distúrbios causados por humanos? São atividades realizadas pelo homem que causam impactos diretos ao ambiente ou a outros seres vivos. As aves limícolas que habitam áreas úmidas costeiras e interiores estão vulneráveis a estes tipos de distúrbios. O trânsito de veículos e cães soltos na praia impedem que as aves se alimentem e descansem tanto quanto precisam para se recuperar e se preparar para a próxima migração; a presença de lixo nas praias impacta diretamente as aves que podem ingerir materiais, podendo causar doenças e morte; esportes náuticos como Kitesurf também podem impactar essas aves. O controle desses distúrbios muitas vezes é feito através de proibições. No entanto, é possível promover esse controle com a participação da comunidade e usuários, através do engajamento e construção de acordos.

Para capacitar gestores, professores, técnicos de órgãos estaduais e municipais de meio ambiente (OEMAs), além de outros atores sociais, na construção de estratégias engajadoras para diminuir os impactos causados por distúrbios humanos sobre as aves limícolas, a SAVE Brasil e a Rede Hemisférica de Reservas para Aves Limícolas (WHSRN) facilitaram uma série de webinars entre maio e setembro de 2020. As reuniões contaram com tradução simultânea inglês-português e português-inglês.

Explicamos cada uma das etapas necessárias para planejar, implementar e avaliar estratégias de envolvimento com a comunidade. Para tanto, usamos uma combinação de apresentações, discussões em grupo e atividades interativas, apresentando estudos de caso, exemplos de ferramentas e de pesquisas publicadas.

Esse encontro também promoveu um rico intercâmbio de conhecimento técnico e de informações sobre as regiões de origem de cada participante, além de expandir a rede de contato dos todos, aumentando a possibilidade de construção de futuras parcerias e projetos voltados à conservação das aves limícolas no Brasil.

As três primeiras reuniões, em maio, junho e julho, contaram com a participação de 40 profissionais de 12 diferentes instituições como universidades, órgãos governamentais federais, estaduais e municipais, organizações não -governamentais e clube de observação de aves, de 8 estados diferentes do Brasil (AL,  CE, PA, PE, PI, RN, RS, SE).

Em agosto e setembro conduzimos mais 4 reuniões voltadas a apoiar tecnicamente estratégias de sítios WHSRN: Banco dos Cajuais (CE) e Parque Nacional da Lagoa do Peixe (RS).

Através dessa capacitação, estamos contribuindo para a implementação de ações do Plano de Ação Nacional para Conservação das Aves Limícolas Migratórias – PAN Aves Limícolas.

A realização desse evento foi possível graças a recursos do Neotropical Migratory Bird Conservation Act (NMBCA) e Bobolink Foundation.

Para maiores informações sobre o assunto entre em contato com Juliana Almeida, gerente do Projeto Aves Limícolas da SAVE Brasil ou Laura Chamberlin Diretora assistente da Rede Hemisférica de Reservas para Aves Limícolas (WHSRN) para América do Norte.