Aves migratórias e Campos Sulinos

Entre 1 e 4 de setembro de 2020 o Ministério do Meio Ambiente (MMA), o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (CEMAVE) do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), juntamente com a Convenção sobre a Conservação das Espécies Migratórias de Animais Silvestres (CMS) facilitaram a reunião virtual para Monitoria do Plano de Ação do Memorando de Entendimento sobre a Conservação de Espécies de Aves Migratórias dos Campos Sulinos e de seus Habitats (MdE Pastizales).

A CMS é um tratado intergovernamental focado na conservação, em escala global, de espécies migratórias – espécies cujos indivíduos precisam se locomover (por terra, água ou ar) entre países para completar seu ciclo de vida anual. O Memorando de Entendimento entre países é um dos vários instrumentos utilizados no âmbito da CMS para que países possam coordenar ações de conservação específicas às espécies que compartilham entre si.

O MdE Pastizales foi assinado entre os governos do Brasil, Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai para conservar 12 aves migratórias que utilizam os campos desses países. No Brasil, essas aves utilizam o bioma Pampa e são foco de dois Planos de Ação Nacional (PAN), o PAN Aves Limícolas e o PAN Campos Sulinos e Espinilho.

A SAVE Brasil trabalha ativamente pela implementação dos dois PANs através do Projeto Aves Limícolas e do Projeto Pampa – Alianza del Pastizal. Assim, nossas ações contribuem também para a implementação das ações do MdE Pastizales. Ao todo, contribuímos para a implementação de 20 ações do MdE, quase metade do total de 42 ações.

O Projeto Aves Limícolas contribuiu com a implementação de 13 ações. As contribuições do projeto vêm de ações voltadas para a conservação do maçarico-acanelado (Calidris subruficollis) na planície costeira do Rio Grande do Sul, especialmente no Parque Nacional da Lagoa do Peixe. Podemos destacar aqui as seguintes contribuições: i) os estudos colaborativos para identificar a rota migratória e sítios de parada e alimentação do maçarico-acanelado, e para estimar a população local; ii) o monitoramento anual do maçarico-acanelado; iii) a avaliação dos serviços ecossistêmicos da Lagoa do Peixe; e iv) o apoio à elaboração e ao aumento na representatividade do PAN Aves Limícolas e da Iniciativa para a Conservação das Aves Limícolas na Rota Central, dentre outros. O desenvolvimento dessas ações tem sido possível graças ao apoio do Neotropical Migratory Bird Conservation Act (NMBCA), da National Fish and Wildlife Foundation (NFWF), Bobolink Foundation e Instituto Neoenergia, e à parceria com diversas organizações, incluindo o CEMAVE/ICMBio e a Rede Hemisférica de Reservas para Aves Limícolas (WHSRN).

Maçarico-acanelado. Foto: Eloir Silva

O Projeto Pampa – Alianza del Pastizal contribuiu com a implementação de 10 ações do plano do MdE (3 ações são comuns com o Projeto Aves Limícolas). Consideramos como ações de maior impacto: i) o engajamento de 241 produtores no programa de certificação da Alianza del Pastizal no Brasil; ii) o monitoramento de 44 propriedades certificadas, que registrou 243 espécies de aves, das quais 13 estão globalmente ameaçadas de extinção; iii) o programa de crédito para pecuaristas, certificados pela Alianza del Pastizal, que mantêm o campo nativo; e iv) o combate ao capim annoni na região da APA de Ibirapuitã. Essas ações têm o apoio da BirdLife International, do Funbio, do BRDE e da Bobolink Foundation.